O que esperar do futuro da advocacia? Fique por dentro!

O que esperar do futuro da advocacia? Fique por dentro!

Se você é profissional do Direito e está preocupado com o tema proposto neste título, está correto – é preciso mesmo preocupar-se. O que em nenhum momento significa temor pelo assunto e pelas transformações que já ocorrem na profissão, mas, em acompanhá-lo e ter nele preocupação permanente de aprimoramento.

Estudiosos do assunto são unânimes em afirmar: as transformações na área do Direito apenas começaram e muitas outras ainda virão – e num prazo razoavelmente curto, considerando-se o desenrolar da história da humanidade.

 

 

Os desafios com a nova tecnologia

São muitos os desafios a serem vividos pelos advogados enquanto estas transformações acontecem – e não há precisão sobre o que exatamente vai acontecer. Os mais exagerados já falam – e há até livros sobre o assunto (“O Fim dos Advogados?”, do advogado escocês Richard Susskind) – até mesmo no fim da profissão, o que pode ser mesmo um exagero.

Mas, uma coisa é absolutamente certa: a tecnologia que hoje nos surpreende a cada dia vai afetar – ainda mais – a profissão de advogado e o Direito como um todo, no Brasil e no mundo.

 

 

Revoluções industriais anteriores

Como acompanhar e fazer parte desse novo mundo é o grande desafio de todos. Transformações surpreendentes já ocorreram e mudaram o mundo, com o surgimento de novas profissões e o desaparecimento de outras.

A máquina a vapor e a industrialização em série, por exemplo, criaram um novo mundo no final do século XVIII. Foram surpreendentes as transformações, também, um século depois, com o aparecimento do telefone, do automóvel e o aperfeiçoamento do próprio processo industrial. Mudaram os costumes do homem sobre a terra.

 

 

A inteligência artificial muda o mundo

Mais cem anos e, no final do século XX, houve o aparecimento do computador e, com o microcomputador e a internet, revolucionaram o mundo de tal forma que afetaram a todos, em qualquer lugar do planeta, dos costumes e vestimentas à música e cultura, passando até mesmo por religiões.

Agora, nesta segunda década do século XXI, a revolução fica por conta da inteligência artificial, que provocaria a IV Revolução Industrial. E muita gente já identifica neste movimento histórico a transformação que vai mudar, para sempre, a cara da humanidade. Muitas novas profissões vão surgir e algumas, como a de advogados, desaparecer. É isso que o escocês Susskind discute em seu livro.

 

 

DoNoPay, o primeiro advogado robô

Mas, será que chegaremos a tanto? É verdade que alguns movimentos já ocorrem nessa direção. Também na Inglaterra, um garoto de 19 anos, após tomar sua 30ª multa de trânsito, inventou o aplicativo DoNotPay, o primeiro advogado robô do mundo.

Ele não apenas venceu as defesas contra as multas arbitrárias, como, levantou saudações pelo mundo afora. “É o herói que o mundo precisa”, saudou a insuspeita Revista Time. Já o poderoso Jornal The Wall Street disse que “Um chatbot chamado DoNotPay salvou milhões de motoristas em multas de estacionamento”.

 

 

Fique alerta, o futuro já começou

Pronto, já tem até advogado robô herói. Será isso suficiente para colocar você em desespero? É possível que não seja para tanto, mas, convém começar a pensar a respeito – pelo menos quanto à sua atitude imediata.

O que podemos alertar é exatamente para a presente situação: você está vivendo essa transformação e, portanto, o futuro do Direito já começou, é hoje que isso está acontecendo! É temerário afirmar que não haverá advogados lá num futuro distante, mas, com certeza, é possível arriscar que a profissão não será executada como se faz hoje. As transformações em curso apontam para isso.

 

 

Comece por entender as mudanças

Portanto, é hoje que você deve viver esse futuro da advocacia e do Direito. As mudanças e as transformações decorrentes das novas tecnologias vão ocorrer – e disso ninguém que estuda o assunto tem dúvidas. Se, portanto, é irreversível, convém colocar as barbas de molho e iniciar já a preparação.

E começar por onde? Exatamente por onde estão ocorrendo as transformações que vão modificar sua profissão – ou sua futura profissão, se você é um jovem estudante de direito – pelo acesso, estudo e profundo domínio dessas novas tecnologias.

 

 

Para continuar a crescer, só com inovações

E, como diria nossa avó, é aí que a porca torce o rabo. Os jovens advogados já estão saindo das faculdades com boas noções – e até domínio – dessas novas tecnologias, o que, entretanto, não é comum aos profissionais já maduros, alguns com décadas de profissão.

Estes têm até dificuldades para entender e manusear com desenvoltura um simples smartphone, hoje ferramenta indispensável a qualquer advogado moderno. Mas, sem dúvida, todos os advogados que almejam o crescimento profissional precisarão ter pleno conhecimento e domínio da informática e todas suas ferramentas. Sem ela, não há futuro dentro da advocacia.

 

 

As tecnologias já agem nos escritórios

E isso não é premissa apenas para as áreas do Direito. Conhecida internacionalmente por suas projeções e avaliações, a consultoria McKinsey divulgou estudo onde afirma que, em futuro não muito remoto, pelo menos 60% dos empregos conterão no mínimo 30% de suas atividades dominadas pela alta tecnologia. Ou seja, quem não se aprimorar ou esmerar-se nesses conhecimentos, ficará para trás.

Hoje, não é apenas o DoNotPay que encaminha recursos e já ganhou cerca de 160 mil deles na Inglaterra. E fazendo até mesmo apelações aos juízes. Temos aqui mesmo entre nós as legaltech ou lawtech, pequenas start ups que chegaram ao mundo jurídico para ficar.

 

 

As duas influências decisivas

Estas empresas, surgidas normalmente em incubadoras universitárias como pequenos projetos empresariais, já impactam profundamente o funcionamento dos escritórios de advocacia no Brasil. E ninguém acredita que o suporte técnico e de aprimoramento trazido por essas empresas vão parar por aqui.

Ao contrário, a impressão é que o trabalho da legaltech está apenas começando e não há como recuar. E esta é outra questão importante para o advogado. Analisar o impacto dessas inovações para dentro do escritório, influenciando decisivamente no acompanhamento jurídico de processos e, de forma especial, na gestão do negócio jurídico, transformando os escritórios em empreendimentos.

 

 

O que você pode ganhar com tudo isso

A segunda observação a ser feita pelos advogados atuais é sobre as influências das novas tecnologias sobre o Direito, com seus tentáculos que agem em várias direções.

O computador e suas redes sociais invadem privacidades, surgem discussões sobre o direito de imagem ou direito autoral sobre a distribuição de conteúdos e músicas, só para citar algumas das novas áreas abertas para a advocacia com a disseminação do computador. Então, mãos à obra: em vez de temer pelo futuro da advocacia, aproveite-se com o que está surgindo como opções de trabalho. E tenha um futuro brilhante.

 

Quer saber mais sobre as grandes mudanças tecnológicas no setor jurídico? Veja o blog: Direito e Tecnologia

Escrito por easycase

Separamos esses artigos para você...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *