Como elaborar uma boa gestão estratégica para escritórios jurídicos

Como elaborar uma boa gestão estratégica para escritórios jurídicos

 

 

Não é fácil a vida profissional atual de um advogado, seja em início da carreira ou numa banca já consolidada no mercado. Nos cursos de Direito, dificilmente encontra a preparação adequada aos novos tempos e, quase sempre, pode sair com formação perfeita na área jurídica, mas, sem as ferramentas tecnológicas para enfrentar o dia-a-dia que a chegada da informática vai lhe impor no exercício da profissão.

E o mercado já não é mais aquele vivenciado pelos seus mestres durante o curso, com novos desafios tecnológicos e outra visão de mundo. Terá aprendido, por exemplo – e corretamente -, que o Código de Ética da profissão lhe impõe uma série de limites, como a ação mercadológica indutora em busca de clientes.

 

 

A informática revolucionou o mercado

 

 

Ao abrir seu próprio escritório, entretanto, vai enfrentar uma concorrência violenta por clientes – e até predadora em determinados momentos – e, se não resistir à mesma altura, vai ficar para trás como banca de advocacia.

A razão é simples: o mercado mudou muito nos últimos 20 ou 30 anos, desde o advento do computador e da informática. Agora não bastam mais os vastos conhecimentos jurídicos adquiridos e aperfeiçoados todos os dias – os bons e consagrados escritórios transformaram-se em empreendedores, expressão que pouco deve ter ouvido na faculdade.

 

 

O advogado como um empreendedor

 

 

E, como bons empreendedores, os novos advogados – e seus escritórios -, precisam lançar mão de todo o arcabouço disponível às empresas que querem e almejam crescer, a começar por uma boa gestão estratégica de negócios.

Ser advogado e empreendedor, hoje, exige mais conhecimentos do que o simples domínio sobre o emaranhado de leis do Brasil e do mundo – sim, a advocacia hoje precisa ser global –, exige também conhecimentos de marketing e uma noção importante de administração e estratégia de negócios. O escritório de advocacia moderno virou um negócio de importância, como qualquer outro setor.

 

 

Planejar o seu negócio jurídico

 

 

É claro que a função principal do advogado continua sendo fazer valer os princípios éticos das leis e, dentro delas, a defesa de seu cliente. Mas, os novos tempos fizeram surgir também novas alternativas dentro do negócio jurídico que, antes, não existiam. O direito dentro da vivência social diante das novas redes sociais, por exemplo, a difamação, a divulgação de inverdades, entre muitas outras.

O advogado tem que aprender a planejar o seu negócio jurídico. E aí entra a gestão estratégica do escritório, o que um advogado nem pensaria há uns 30 ou 40 anos, época em que boa parte de seus mestres na faculdade iniciavam suas carreiras profissionais.

 

 

Um bom produto tem que aparecer

 

 

Este mundo mudado impõe alguns desafios a mais. Entre eles, está o de continuar a respeitar o Código de Ética da profissão e, simultaneamente, avançar celeremente em busca de novos clientes e novas alternativas de faturamento, se quiser ver seu escritório crescer e ser encarado no mercado como uma banca de respeito, com pleno domínio dos principais nichos do Direito.

E, como sempre foi dito no marketing, de nada adianta produzir o melhor produto se ele ficar na prateleira e o consumidor nem tomar conhecimento que ele existe. O advogado precisa, agora, mostrar-se ao mercado, revelar-se como alternativa capaz de garantir um êxito numa demanda jurídica de importância.

 

 

É preciso conhecer bem a sua equipe

 

 

Como não pode fazer publicidade direta, o que lhe é proibido pelo Código de Ética, precisa encontrar alternativas para fazer isso. Aí entra a gestão estratégica do seu escritório – o que implica na gestão interna do negócio, dentro de seu grupo de trabalho, e alternativas de marketing para chegar ao mercado.

Para chegar a este novo estágio, o advogado precisa conhecer bem o seu grupo de trabalho e saber quais as potencialidades que pode tirar – do melhor – de cada um da sua equipe. Um é mais organizado, o outro trabalha melhor na internet, um terceiro tem melhor liderança e assim por diante. Conhecer cada um e explorar esse talento ou conhecimento específico.

 

 

Um bom plano de gestão estratégica

 

 

Um bom começo pode ser a contratação de pessoa de fora, especializada em gestão de grupo para escritórios de advocacia, para aplicar um curso de gestão estratégica. É coisa de um dia ou até algumas horas. Este especialista vai ajudá-lo na montagem de sua gestão estratégica.

Ele vai lhe propor alguns caminhos a seguir, após conhecer a equipe:

  • Conhecer bem o seu mercado, suas potencialidades e oportunidades a partir da definição de metas
  • Definir especializações para seu escritório – parar de ser ‘bom em tudo’
  • Estabelecer estratégias de promoção do escritório, com ferramentas adequadas de marketing, como um site e padronização do material de expediente
  • E, a partir de todas as definições anteriores, chegar à elaboração de um plano de gestão estratégica e plano de negócios

 

 

Um novo sistema organizacional

 

 

Algumas medidas devem ser tomadas já de início. Será preciso criar um sistema organizacional do seu escritório, com estrutura em torno da definição de metas e funções, adequando cada pessoa a estas novas funções. Lembra da descoberta das potencialidades de cada um de sua equipe?

E você precisa adquirir um software para a administração e gestão de seu negócio jurídico. Chega dessa extenuante tarefa de buscar, todo dia, os andamentos nos sites dos tribunais onde cada processo tramita. Isso é coisa do passado, seu tempo é precioso demais para o exercício de tarefas repetitivas.

 

 

Seu tempo só para o jurídico

 

 

Existem hoje no mercado software específicos para escritórios de advocacia e que fazem toda essa tarefa repetitiva, como buscar processos e acompanhar seu andamento no tribunal, com conferência diária de despachos judiciais, impedindo que o advogado perca qualquer prazo e fique alerta quanto a possíveis recursos ou embargos. 

De quebra, estes software vão ajudá-lo na administração direta do escritório, seja das tarefas de cada um, gestão financeira, recebimentos, pagamentos e até o que cada um está fazendo naquele momento, seja estagiário ou seus sócios. Seu tempo passa a ser dedicado apenas à elaboração de peças jurídicas, como deve ser. A gestão estratégica para escritórios de advocacia já é praticada por muitos escritórios, de todos os tamanhos, e o seu não pode ficar para trás. Então, começa já. Experimente o Sisea, software especialista em gestão jurídica!

Escrito por easycase

Separamos esses artigos para você...

1 Comentário

  1. […] Quer saber mais sobre gestão para escritórios de advocacia? Veja mais dicas em: Como elaborar uma boa gestão estratégica para escritórios jurídicos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *